Dr. Almiro Ferreira 

"Sou, na essência, um profissional apaixonado pela possibilidade de devolver às pessoas o equilíbrio e o bem-estar.  Sinto-me realizado  com o que faço e agradeço  a Deus por isso."
Medicina Chinesa -Instituto Português de Naturologia

Osteopatia - Escola Portuguesa de Osteopatia 

Ozonoterapia - Centro de Investigacion  La Pradera- Habana, Cuba 

Quiropraxia  Inka- Centro Quiroinka - Guadalajara, México

A dor me levou a  fazer o que faço hoje: me dedico a cuidar justamente da dor daqueles que sofrem por alguma efermidade.  No final da minha adolescência, comecei a sofrer terrivelmente da coluna.  As dores eram tão insuportáveis que, à noite, a única forma de dormir era me debruçar completamente sobre as minhas pernas.  Meus pais levaram-me a vários especialistas e o diagnóstico era sempre o mesmo: cirurgia.  

Graças a Medicina Natural  fiquei curado. Hoje, estudo, pesquiso e viajo o mundo para conhecer e me aprimorar cada vez mais nesta área.  Alegro-me quando vejo  o sorriso de  alguém que entrou no  meu consultório a chorar.

Devo dizer que a minhas raízes africanas também influenciaram muito o meu amor pela cura através da natureza. Era com ervas que o meu pai, português natural de Arouca, curava as mazelas que iam aparecendo naqueles tempos coloniais em Moçambique, terra onde nasci. Uma sabedoria que aprendeu com a gente da terra e que eu acabei também por herdar. Tive a honra de trabalhar em  Angola e  na Holanda e de conhecer diferentes realidades. 

Seja Africa ou Europa, não importa: a dor não escolhe nome, cargo ou posição social. Pelas minhas mãos já passaram  secreta- rios de estado, generais, embaixa- dores, diplomatas, professores, bancários, cozinheiros, executivos,  médicos, jornalistas, empresários  dentre outros profissionais.

A oportunidade de trabalhar em cidades cosmopolitas, vivenciando contextos tão diversos, foi para mim uma grande escola.

Tratei de toda espécie de patologia

e tive o imensoprazer de conhecer 

cuidar de pessoas das mais diversas nacionaliades:  angolanos, 

portugueses, brasileiros, zairenses, congolenses, sul africanos, senega- leses, chineses, malaios, ingleses, france- ses, alemães, holandeses, afegãos, marroquinos, turcos, kuwai tianos, arábes sauditas, egipcios, li baneses, sírios,  colombianos, ameri canos, indianos, paquistaneses  e até  do Azerbeijão.

Desta forma, aprofundei  os meus conhecimentos e acabei por desenvolver o  meu próprio método de tratamento, que reúne um mix de técnicas, de acordo com cada caso, o que contribui sensivelmente para acelerar os processos de cura.